Contribuindo com o objetivo da VALE de duplicar a EFC (Estrada de Ferro Carajás),  a Dynamis Techne prestou diversos trabalhos de consultoria para a PROGEN referentes ao projeto da Nova Ponte Ferroviária sobre o Rio Tocantins. A nova ponte será brevemente construída em Marabá, paralelamente à ponte existente e terá 2.310m de extensão, com vão máximo de 79m.

O trabalho prestado pela Dynamis Techne abrangeu três atividades (em ordens de serviço distintas), a saber:
1) Participações em workshops sobre Construtibilidade e Análise de Risco, e elaboração dos critérios de projeto da ponte;
2) Especificação do trem tipo a ser utilizado no projeto;
3) Avaliação de Conformidade de Projeto das estruturas de concreto da ponte.

O TREM TIPO consiste em um veículo padrão, empregado no projeto de pontes, tanto ferroviárias quanto rodoviárias, e representa as cargas dos veículos que irão trafegar pela ponte.

Como ainda não há normas brasileiras para o projeto de pontes metálicas no Brasil, a superestrutura da ponte (tabuleiro ferroviário) está sendo projetada de acordo com os critérios da AREMA – American Railway Engineering and Maintenance-of-Way Association, e do Eurocode (norma da união européia para construção civil).

Um dos trabalhos da Dynamis Techne consistiu em adaptar o trem tipo COOPER E-80 da AREMA, para a realidade da Estrada de Ferro Carajás, considerando os trens operacionais da VALE com quatro locomotivas GE Evolution, e o aumento de carga nos 330 vagões da composição, os quais irão pesar 160 toneladas (cada vagão), correspondendo a 40 toneladas por eixo.

Com a conclusão desta atividade, o trem tipo proposto pela Dynamis Techne foi adotado pela VALE para elaboração do projeto da Ponte.

No serviço de Avaliação de Conformidade de Projeto da nova ponte ferroviária sobre o Rio Tocantins, a Dynamis Techne verificou os projetos e memórias de cálculo dos seguintes itens:

  • Laje do tabuleiro em concreto protendido;
  • Pilares;
  • Blocos de fundação;
  • Estacas de fundação com diâmetro de 1,80m (de concreto moldado in loco, com camisa metálica perdida);
  • Encontros;
  • Dolfins de proteção dos pilares do canal navegável;
  • Passagem Inferior de Veículos.

Para isto, a Dynamis Techne analisou tanto as memórias de cálculo destas estruturas, quanto os desenhos de projeto propriamente ditos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s