Monitoração da prova de carga dinâmica da ponte de acesso ao Terminal Portuário de Outeiro da Companhia Docas do Pará - CDP.

A instrumentação de estruturas, também denominada SHM – Structural Health Monitoring, ou Monitoramento da Saúde Estrutural, é uma das ferramentas mais modernas e eficazes na avaliação de grandes obras, estejam elas já construídas ou em fase construtiva. A Equipe da Dynamis Techne possui 13 anos de experiência com instrumentação e monitoração de vários tipos de estruturas de grande porte, e suas fundações, e coloca a disposição de seus clientes todo este know-how, com o objetivo de proporcionar maior segurança estrutural às obras monitoradas.

Experiência – A Equipe da Dynamis Techne possui experiência com a instrumentação e monitoração dos seguintes tipos de estruturas e suas fundações:

  • Barragens de Concreto (Usinas Hidrelétricas)
  • Edifícios Históricos
  • Edifícios Residenciais de Múltiplos Andares
  • Equipamentos Portuários (Descarregadores de Navios)
  • Estruturas Portuárias
  • Ginásios de Esportes
  • Linhas de Transmissão (cabos de transmissão, e torres de transmissão)
  • Passarelas de Pedestres
  • Pontes de Acesso a Estruturas Portuárias
  • Pontes Rodoviárias
  • Pontes e Viadutos Ferroviários
  • Reservatórios cilíndricos de aço

Sensores utilizados – os tipos de sensores mais utilizados nas atividades de instrumentação/monitoração de estruturas são:

  • Sensores de deformação (strain gages) – sensores para medidas diretas de deformação, e medida indireta de tensão mecânica, e medida indireta de esforços internos (esforço normal, esforço cortante, momento fletor, momento torsor, etc) nas seções de um elemento estrutural ou de fundações (estacas e blocos)
  • Transdutores de deslocamentos – sensores para medidas diretas de deslocamentos ou movimentação em estruturas e fundações
  • Células de carga – para medida de cargas (forças de tração ou compressão) em elementos estruturais e forças aplicadas em estacas
  • Células de carga monocordoalha – sensores para medida de forças em cabos de protensão ou estais (cabos de pontes estaiadas) posicionadas nos dispositivos de ancoragem
  • Acelerômetros – sensores para medidas de acelerações (vibrações), e/ou velocidades, e/ou deslocamentos em ensaios dinâmicos. Com estes sensores, após o devido tratamento dos dados, é possível se determinar as frequências naturais e os modos de vibração livre da estrutura
  • Termômetros – sensores para medidas de temperatura, para determinação dos efeitos de variação térmica nas estruturas
  • Anemômetros – sensores para medida de velocidade e direção do vento, para determinação da pressão do vento atuante na estrutura
  • Clinômetros/Inclinômetros – sensores para medida de inclinação, geralmente empregados para monitoração de movimentação de estruturas e fundações devido a recalques diferenciais, ou durante a fase de montagem

Demais equipamentos empregados – além dos sensores propriamente ditos, para o monitoramento de estruturas e fundações, durante operação usual ou provas de carga, são empregados outros recursos tais como os equipamentos, dispositivos, veículos a saber:

  • Macacos ou cilindros hidráulicos – dispositivos empregados para aplicação de cargas em diversas situações, tais como aplicação de carga em estacas, protensão de cabos ou movimentação da estrutura
  • Veículos para prova de carga – estes veículos podem ser rodoviários (veículo especial instrumentado, ou caminhão simples) ou ferroviários (locomotiva e/ou vagão instrumentados, ou não) para aplicação/medição das força que os eixos dos veículos aplicam sobre a estrutura (ponte ou viaduto). No ensaio dinâmico com veículo especial instrumentado é possível se estimar diretamente os coeficientes de impacto e coeficiente de amplificação dinâmica da estrutura;
  • Sistemas de aquisição de dados – estes sistemas são responsáveis pela alimentação/condicionamento dos sensores, leituras dos sinais analógicos e conversão em sinais digitais. De um modo mais simples, pode-se dizer que estes sistemas tem a função de conectar os sensores a um micro-computador de modo a permitir a leitura e armazenamento dos dados obtidos pelos sensores;
  • Fonte de geração de energia – para alimentar os sistemas de aquisição de dados e computadores, é necessário uma fonte de energia que pode ser proporcionada através de um gerador à combustão, uma bateria com inversor, ou um painel fotovoltaico, por exemplo;

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s